Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

estevoepg

Membros
  • Total de itens

    73
  • Registrou-se em

  • Última visita


Histórico de Reputação

  1. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de luialexandredsc em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  2. Upvote
    estevoepg deu reputação a Willy em Apple Care cobre defeito no cabo do MacBook Air?   
    Eu sei o que vc está passando. Na verdade o risco de um possível incêndio na sua casa/escritório é grande. Comigo aconteceu o mesmo com 2 carregadores dos MacBooks White 2009. Um deles depois de muita insistência a Apple mandou um novinho direto para o meu endereço mas o outro tive que comprar. Quem leu a biografia do Jony Ive sabe que a Apple faz os usuários de cobaias em nome do design. O que eu notei é que dependendo da pessoa que está atendendo o caso varia muito o procedimento. Se depois de tudo você não for atendido exija falar com um agente nos USA via 0800. Eles falam português e posso assegurar que isto faz toda a diferença. Não desista, é um direito seu.
     
    Boa sorte !
  3. Upvote
    estevoepg deu reputação a Alan Leitão em Apple Care cobre defeito no cabo do MacBook Air?   
    Rapaz, esse isolamento é complicado porque com o calor ele "resseca" ("adoro" esse termo) e começa a esfarelar. Já vi em vários MacBooks isso acontecer. Já vi alguns conseguirem a troca em garantia e outros não. Depende da boa vontade do atendente.
  4. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de Nitro em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  5. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de Thiago Leite em iPhone 6 Plus Empenando?   
    As pessoas estão usando a perna de maneira errada. 
  6. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de Walter Viana em iPhone 6 Plus Empenando?   
    As pessoas estão usando a perna de maneira errada. 
  7. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de sandro.an em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  8. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de GuilhermeFK em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  9. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de macrulez em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  10. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de Rafael Martinez em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  11. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de Arthur Paulino Polzin em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  12. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de milson em Relato: 2 anos no ecossistema Apple, de um ex-usuário do Windows   
    Olá pessoal
     
    Hoje gostaria de compartilhar minha experiência de 2 anos com o ecossistema Apple. Meu objetivo é para os usuários que pretendem ingressar (e, principalmente, investir) nos aparelhos da maçã.
    Bom, sou estudante universitário: sempre saio de casa para eventos acadêmicos em outras cidades, desenvolvo projetos de pesquisa e o binômio portabilidade x confiabilidade é mais do que essencial neste meio. Meu primeiro notebook foi um Toshiba (não Semp Toshiba), comprado na metade de 2009, se não me engano. Um bom dispositivo, mas um raio caiu e o queimou tudo o que ele tinha, em outubro de 2011.
     
    Comprei em fevereiro de 2012, então, um Samsung RV 114 (ou uma numeração parecida). Era menos feio que o Toshiba, mas com um design ridiculamente mal elaborado: tinha uma rugosidade tosca que sempre riscava. Sempre usei o Windows e gostava muito dele, mas misteriosamente, não conseguia ficar mais de 6 meses sem formatar a máquina e começar tudo de novo, já que esse sistema de backup com discos só funciona pra quem é muito sistemático.
     
    Em julho do mesmo ano soube que tinha ganhado uma bolsa para mobilidade acadêmica em Portugal, que acompanhava um auxílio de 1000 dólares para a compra de um computador. Como morava em uma cidade diferente dos meus pais, vendi a mobília da  kitnet e abati parte dos R$5.200,00 do MacBook Air de minha assinatura, com 3 anos de garantia. Foi muito pesada a compra (uma loucura para meus padrões financeiros). Recebi o bendito, então, duas semanas depois. Não sabia nada do ambiente Mac, nem instalar um programa.
     
    De lá pra cá minhas condições financeiras melhoraram, o que me permitiu comprar outros iDevices aqui no Brasil e durante minha estadia na Europa.
    Estou dizendo isso porque muitos que observam o universo Apple de fora podem nos considerar elite (se não elite, um bando de imbecis que optam pelo status de uma marca e que parcelam um produto em 24 vezes). Posso até ser imbecil, mas não “elite”. Bom, se valeu a pena? É o que sintetizo nas linhas que se seguem.
     
    Nunca o MacBook Air me deixou na mão. Nunca ele deu nenhum problema e sua bateria nunca acabou na hora errada. Hoje ele me atende com a mesma fluidez e estabilidade que em agosto de 2012, ou seja, dois anos de uso (inclusive a bateria!). Em meus notebooks anteriores, nem cheguei perto da experiência que tenho com o Air. Faz 1 ano e meio que não formato minha máquina, nem para atualizar o sistema operacional e só pretendo fazer isso com o Yosemite, por desencargo de consciência.
    Há quase dois anos, também, comprei um Time Capsule de 2TB. O sistema de organização das coisas não é perfeito, mas se eu quiser acessar algum arquivo de 13 de março de 2013, consigo com menos de 5 cliques. Se eu tentar particionar minha unidade e der zica, o assistente de recuperação do Mac baixa o SO e coloca o sistema da mesmíssima forma como estava antes, sem nem me lembrar de clicar em algum botão para o backup e, principalmente, sem fio algum. Nunca perdi nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico com o Air + Time Capsule.
     
    Decidi, depois, comprar um iPad Mini. Não consigo imaginar minhas aulas (chatas) sem ele. Além de, claro, participar de eventos e apresentações em simpósios e coisas do tipo. Abandonei as fotocópias da faculdade.
     
    No fim do ano passado comprei uma Apple TV. Pelo preço, ela faz muito (pelos padrões exagerados do custo dos iDevices no Brasil). Projetar músicas, imagens, documentos em uma televisão, ainda mais com o Netflix da vida, é muito útil.
     
    Na semana passada, com um dinheiro juntado, comprei um iPhone 5S de 32GB. Em um intervalo de 2 anos, tive um Lumia 800 e outro 820, ambos tendo diversos problemas (no microfone, na câmera, na recepção de sinal) e limitações no Windows Phone que, pra quem tem um dispositivo com iOS, são irritantes. Juntando os dois, houve um investimento de quase R$2.500,00 (sendo metade dele do Lumia 800, abandonado pela MS no WP 8). Com o iPhone 5s, não tenho a intenção de fazer as coisas mirabolantes que veremos nos próximos 2 anos, porque o patamar deste dispositivo já é muito maior do que eu preciso. Além da crescente integração com os MacBooks, que multiplicam as vantagens do ecossistema, o preço – ao considerar a vida útil do aparelho – quase se assemelham, com a vantagem do suporte prolongado dos aparelhos que a Apple lança.
     
    Por fim, só gostaria de expor dois anos de experiência com o ecossistema Apple. É caro, sem dúvida alguma, com outras opções muito mais em conta no mercado. Porém, para meu perfil de usuário, cada centavo investido nestas máquinas nunca retornaram com dor de cabeça – e meu querido Air vai continuar me atendendo adequadamente durante um bom tempo (e me dando a impressão de que os produtos da concorrência foram lançados com um design inacabado). 
  13. Upvote
    estevoepg deu reputação a Chrono em Uma dura crítica e uma sugestão aos editores do MacMagazine   
    Acompanho o site desde meados de 2007, portanto acompanhei boa parte da evolução editorial e dos percalços passados dessa segunda encarnação do MacMagazine.
    Numa primeira fase que durou até mais ou menos idos de 2008 o site tinha um tom ingênuo, com vários erros nos poucos posts que se pretendiam mais técnicas, e o diálogo com o leitor era constante e mesmo certas vezes era excessivamente humilde. E era notório que havia algo piadista e heróico do Mac x Wintel, incentivado pelas peças publicitárias da Apple.
    Na segunda fase, que durou mais ou menos até fins de 2009 ou inicio de 2010, já havia maior preocupação com um rigor editorial, o site estava crescendo, a preocupação comercial já se mostrava, mas mantinha-se o diálogo com o leitor. Nessa época estimo que houve o maior número proporcional de contribuições dos leitores para as matérias. Para mim foi a melhor fase.
    Na terceira fase, cujo marco final coloco na queda do Intense Debate, o número de leitores subiu exponencialmente. E havia muito fanboysismo nos comentários. O diálogo foi reduzido ao mínimo. A preocupação comercial era mais nítida, havendo muitas vezes um excessivo número de posts diários. Dessa fase se encontram diversas acusações de que alguns posts eram meras traduções (não vou entrar no mérito) e de que o site parou com o conteúdo que atraiu leitores mais antigos (vídeo-aulas, por exemplo) em favor de ser um replicador de rumores. Começa a haver um certo tom de arrogância editorial.
    Na quarta e atual fase, há uma tentativa do resgate da conversa com o leitor nos comentários. Só que o tom é nitidamente arrogante. O tom das matérias volta a ter mais pessoalidade também, para o bem e para o mal. O site parece querer defender não a Apple, mas uma certa imagem da Apple.
    Enfim, esta é minha percepção e é claro que pode ser rebatida.
  14. Upvote
    estevoepg deu reputação a T-Bond em Uma dura crítica e uma sugestão aos editores do MacMagazine   
    Acompanho há um bom tempo o site e o fórum pra tirar dúvidas e acompanhar as novidades da Apple.
    Porém tenho reparado que muitos (se não todos) os artigos do site tem um teor muito evidente de "fanboy".
    Me dá a impressão que se lançarem uma cueca ou cereal da Apple, o editor vai lá e vai comprar. Isso é doença meu rs
    Ao ler um artigo, quero me informar sobre assuntos relacionados a Apple mas não é porque o site trata de assunto da empresa que deve-se tirar a imparcialidade de uma informação pra enaltecer e endeusar essa empresa.
    Se eu quisesse ficar "bolinando" a Apple, entrava no site deles. Aqui entro pra saber justamente o que eles não falam lá.
    Vou dar um exemplo...
    O aritgo a seguir fala sobre um possível problema que a Apple passa com uma parte do site. Ora, toda empresa tem problemas.
    http://macmagazine.com.br/2013/07/19/portal-da-apple-para-desenvolvedores-esta-fora-do-ar-ha-quase-dois-dias/
    Mas ao invés de tentar informar melhor sobre o que se passa, ou tentar um contato pra pegar mais detalhes, o autor ainda encontra uma forma de alfinetar a Microsoft.
    Isso eu acho um absurdo pois a própria Apple está passando por um problema e o cidadão ainda enche o saco de outra empresa.
    Como se a Apple fosse um deus, entendem?
    Há uma tênue linha que separa um texto informativo de um "fanboysista".
    Imagino que a MacMagazine não seja uma fã page, de pessoas adoradoras da Apple, mas sim um canal especializado em passar notícias da empresa, seus produtos e novidades.
    Outro exemplo...
    http://macmagazine.com.br/2013/07/19/graficos-do-dia-o-fim-do-monopolio-do-windows/
    O gráfico não mostra nada do fim do monopólio de empresa alguma, apenas demonstra as tendências dos dispositivos e sistemas operacionais.
    Mas novamente serviu de canal pra atacar o Windows, como se ele não tivesse seus próprios méritos. Pôxa, pega um gráfico que tem um indicador com o nome do Windows, já estoura o champagne quando encontra um defeito?
    Eu quero saber da Apple!
    A página se tornou um canal de fãs Apple, um fã clube, que gosta de tirar um sarro de outras empresas, como se não tivessem mérito.
    E quando acontece um problema com a Apple, o sr editor fica quietinho. Por que não tira um sarrinho também?
    Isso não era assim. Tenho reparado na queda de qualidade e imparcialidade das informações.
    Uma hora é com a Sansung, outra com a Microsoft, outra com o Google.
    Já a Apple não tem defeito nenhum. É perfeita né?
    Agora se outra pisa na jaca, ganha destaque.
    Deveria haver o objetivo de informar de forma séria e clara notícias relacionadas a Apple e não ser um canal de fofocas empresariais ou, como é hoje, absurdamente puxa-saco.
    Isso atrapalha os leitores, que ficam com a sensação que a Apple não erra, é milagrosa e ninguém mais presta, só Apple.
    Além de isolar o site só pro pessoal que tem a cabeça fechada.
    Minha sugestão é que o editor amadureça e abra a cabeça pra voltar a fazer o bom trabalho que antes fazia ao invés de criar uma seita.
    Sensatez por favor.
  15. Upvote
    estevoepg deu reputação a Robsonccr em Xbox One   
  16. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de L. Pippa em O sistema operacional mais bizarro do mundo   
    Bom pessoal, desculpem a ausência.
     
    Depois de levar em uma autorizada, descobrimos que o Time Capsule estava duplicando as pastas de emails quando restaurava o computador. Detalhe: esta brincadeirinha estava ocupando nada mais nada menos que 50GB do meu humilde hd de 128 gb, quando o tamanho real não deveria passar de 7 gigas.
     
    Bom, obrigado pelas dicas.
     
    Abraços.
  17. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de MateusMN em Mac OS X 10.9   
    Qual a lógica de colocar o Siri em Retinas? Poder de processamento?
    Antes as pessoas trocavam de produtos Apple por verem nos novos um avanço considerável. Hoje parece que estão forçando a migração por picuinhas adicionadas aos novos dispositivos. Isso é triste.
  18. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de LiveinRiot em Mac OS X 10.9   
    Qual a lógica de colocar o Siri em Retinas? Poder de processamento?
    Antes as pessoas trocavam de produtos Apple por verem nos novos um avanço considerável. Hoje parece que estão forçando a migração por picuinhas adicionadas aos novos dispositivos. Isso é triste.
  19. Upvote
    estevoepg deu reputação a guklein em Resultados / Ações - Apple   
    O mais engraçado é quando alguns se metem a "desvendar" o mercado. É tanto conhecimento de economia e mercado financeiro que fico impressionado, rs!
  20. Upvote
    estevoepg deu reputação a bbaiao em Apple descaso com o consumidor   
    Boa tarde,
    Estou completamente desapontado com o suporte da Apple e gostaria de compartilhar minha insatidfação.
    Minha experiência negativa começou quando comprei meu primeiro Apple,
    um MacBook Pro 13, em dezembro de 2010. Após 5 dias da entrega do produto, quando fui utilizar o Super Drive, ouvi um barulho alto e estranho, levei meu computador a assistência técnica TecMania em Belo Horizonte, foi constatado defeito, e solicitei o reparo da máquina.
    Como é de direito meu como consumidor, exigi a troca da máquina por outra nova na Apple Store Brasil (onde comprei a máquina), já que a minha havia apresentado defeito em menos de 7 dias corridos.
    A partir daí começou o desgaste com o descaso da empresa.
    Os atendentes apresentaram MUITA resistência em querer trocar meu equipamento, demorei cerca de 2 dias ligando várias vezes para o 0800 da empresa para que a troca fosse autorizada. Achando que acabaria por ai os meus problemas com a Apple e com meu Macbook Pro sendo trocado, tive mais uma decepção.
    A empresa estava fugindo dos meios tradicionais de troca. Segundo a assistência técnica, a Apple Store Brasil pediu que eu retirasse meu computador da autorizada para que ela pudesse buscar em minha residência a máquina e efetuar a troca. A coleta foi feita no dia seguinte da retirada na autorizada. Liguei informando a Apple que a coleta havia sido feita, e a mesma respondeu que minha máquina só seria enviada quando a antiga chegasse de volta. 15 dias após a coleta, liguei para saber a previsão da entrega da minha máquina e tive uma surpresa ao ouvir do atendente que
    minha máquina havia sido entregue a 22 dias atrás e que não tinha maquina minha para ser enviada. Com muito custo consegui explicar a situação da troca ao atendente que pediu desculpas e não tinha nada a me informar a respeito do caso, já que ele se quer estava registrado. A
    partir daí, passei a ligar diariamente para o SAC da empresa para saber da meu computador, até que no 27° dia sem respostas e previsões, procurei um advogado para acionarmos a empresa. Entramos em contato no mesmo dia e, magicamente, a Apple descobriu onde estava meu notebook e o enviou para mim, chegando em minhas mãos com 29 dias do envio.
    Cerca de 8 meses depois de ter recebido meu computador novo, no dia 21/10/11, o Mega Safe apresentou falhas e precisou ser trocado. Com medo da qualidade dos produtos Apple contratei o serviço do Apple Care para não ter mais surpresas.
    Por volta do dia 10/11/12 o Bluetooth da minha "máquina nova" parou de funcionar de repente, levei novamente meu Macbook a assitencia técnica que constatou que minha maquina precisaria de reparo na PlanBoard, Logic, no Housing, e Top Case. Retirei meu Macbook Pro da assistência no dia 31/11/12, testei e estava tudo ok, até eu chegar em casa. Quando liguei a maquina novamente percebi a tela manchada com pontos mais escuros. Levei a novamente a autorizada, onde foi
    constatado defeito e solicitado um novo Display Clamshell.
    Hoje dia 13/12/12 estou mais uma vez sem meu computador, que está aguardando a chegada da peça substituta. Segundo a autorizada, não é normal uma mesma máquina apresentar todos estes problemas em tão pouco tempo, disse que a Apple costuma trocar o produto em casos extremos como o meu, onde a maquina apresenta defeitos graves constantemente. Porem não é dessa forma que a empresa agiu comigo.
    A Apple teve a coragem de falar que já estava fazendo algo por mim que era trocar as peças (como se não fosse meu direito, já que paguei caro pelo Apple Care) e que eu deveria dar mais uma chance para a empresa provar a qualidade dos produtos. Mas pela quarta vez?
    Estou encaminhando este mesmo e-mail para sites, blogs e revistas da área, pois estou completamente indignado com a Apple, sendo que o produto vendido apresenta defeitos constantes e nada se resolve, possuo uma máquina toda remontada e de qualidade duvidosa.
    Completa falta de respeito com o consumidor.
    Tenho todos os números de caso e documentos dos processos, caso queiram favor entrar em contato.
    Obrigado!
    Bernardo Baião
    Abaixo Link da Reclamação no Reclame Aqui!
    http://www.reclameaqui.com.br/4092347/apple-computer-brasil/apple-descaso-com-o-consumidor/
  21. Upvote
    estevoepg deu reputação a sigma7 em Aplicativos Corel: até 65% mais cupom 20%   
    Hoje termina a CyberMonday na Corel com promoções de aplicativos e upgrades com até 65% de desconto há mais um cupom que dá mais 20% de desconto.
    Acesse o site da Corel (altere o país para Estados Unidos)
    Escolha o produto desejado e no carrinho utilize o código CORELUGSAVE20 para obter mais 20% de desconto
    Há um cupom pra frete grátis acima de $ 99: COREL99C
    Pague com Paypal ou cartão de crédito internacional

    O Painter 12 possui versões para Windows e Mac.
  22. Upvote
    estevoepg deu reputação a Gabriel M. Biff em Samsumg Omnia i8350 + iPod Touch 5G 32GB, é uma boa combinação?   
    Se eu quisesse me achar, comprando um novo e não desse valor ao trabalho dos meus pais, certamente não estaria aqui no fórum fazendo comparações de preço e tentando ver o mais barato. Quem vai pagar sou eu. É desnecessário desejar felicidade à algo incerto, porém, mesmo assim obrigado.
  23. Upvote
    estevoepg recebeu reputação de Raoni Mendes em Mac OS X 10.9   
    Qual a lógica de colocar o Siri em Retinas? Poder de processamento?
    Antes as pessoas trocavam de produtos Apple por verem nos novos um avanço considerável. Hoje parece que estão forçando a migração por picuinhas adicionadas aos novos dispositivos. Isso é triste.
  24. Upvote
    estevoepg deu reputação a lingbauer em Mini Tutorial Time Capsule   
    Ai Galera um vídeo sendo uma tentativa de ajudar a galera a configura-lo. hehe
    Valeu abraços!!!
  25. Upvote
    estevoepg deu reputação a JoeD em App para gerenciar passagens de avião   
    Aqui as que eu testei e gostei:
    Boarding Pass
    FlightTrack Pro
    Lemon.com Wallet
    Wildcard Network
    Estão falando bastante de uma tal de passwallet que é uma cópia de passbook para Android. A versão pra iPhone aqui (http://www.ollapp.com/app/passwallet/iphone). Eu não testei... se testar, me conta depois.
    Leia sobre cada uma e veja o que satisfaz a sua necessidade. As vezes precisará combinar uma com outra para ter um serviço mais completo. Boa sorte!
×
×
  • Criar Novo...