Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Alan Leitão

Membros
  • Total de itens

    1.067
  • Registrou-se em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    11

Alan Leitão ganhou o dia pela última vez em 9 de junho

Alan Leitão teve o conteúdo mais curtido!

3 Seguidores

Sobre Alan Leitão

  • Rank
    Sou um power user, não brinque comigo.
  • Data de Nascimento 15-09-1981

Contact Methods

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • Localização
    Rio de Janeiro

Últimos Visitantes

2.429 visualizações
  1. Era o que eu ia sugerir. O Fusion Drive faz exatamente o que ele quer, mas sem o trabalho de gerenciar manualmente.
  2. Nunca tinha visto um problema dessa natureza. Achei até estranho ler isso, mas pelo visto no link que você postou, é uma realidade. De qualquer forma, esse teclado é compatível com o Logitech Unifying. Se a quantidade de portas USB não for problema, pode usar dessa forma. Se todas as portas estiverem ocupadas, use um hub usb de qualidade. A banda exigida pelo teclado é muito pequena e não deve impactar na taxa de transferência de outros dispositivos. Você pode, inclusive, deixar para conectar dispositivos lentos nesse hub.
  3. Não vejo motivos para o vendedor fazer isso. Exija a nota fiscal original para garantir a procedência do aparelho. Caso ele deseje fazer isso, com a nota fiscal você normaliza a operação do aparelho.
  4. Nem vejo como um retrocesso da Apple porque a versão 2004 do Windows 10 não deve ser homologada ainda. Lembro que no ano passado a 1909 teve problemas de compatibilidade também que só foram corrigidas depois de uma atualização Boot Camp para Windows, que demorou um bom tempo para ser liberada. Como eu não tenho nenhum Mac com T2 em mãos, não tenho como testar, mas assim que aparecer um aqui eu vou fazer o pendrive de boot do Windows com os drivers do T2 embarcados no boot.wim só para saber se dá para fazer direto ou não.
  5. Acredito ser pouco provável uma limitação de segurança. Esse procedimento é o usado pela galera para instalar Linux nos Macs com T2, que nem assinatura tem, ou seja, seria o tipo de situação menos segura possível com relação à inicialização de um sistema. Pesquisando um pouco mais a fundo, encontrei esse site aqui que detalha as mudanças no Boot Camp nas máquinas com chip T2. Resumindo, devido ao acesso ao SSD ser via T2, o driver necessário precisa ser carregado e o Boot Camp nessas máquinas age de forma diferente: ao invés de apenas criar uma partição para instalação do Windows 10 com os drivers e o AutoUnattend.xlm para automatizar a o processo, ele injeta os drivers direto no boot.wim para que sejam carregados desde a inicialização. Dessa forma, se você tiver acesso a uma máquina com Windows 10 você pode fazer essa injeção de forma manual e iniciar o sistema normalmente. A única coisa que me preocupa é o fato de apresentar tela azul em uma das etapas da instalação do Windows 10. Nesse caso, eu desconfio que pode ser por causa da versão 2004. Tente com a 1909 ou a 1904.
  6. Só complementando: pelo que acabei de (rapidamente e superficialmente) pesquisar aqui, pode ser que as chaves assinadas da Microsoft para autenticar o Windows sejam adicionadas ao T2 somente via Boot Camp. Se for realmente o caso, instalar o Windows sem passar pelo Boot Camp necessitaria desativar o Secure Boot em Macs com esse chip.
  7. Eu havia esquecido do T2. Eu nunca precisei instalar o Windows em uma máquina com esse chip, mas acho estranho que seja necessário fazer via Boot Camp. O chip tem as chaves assinadas da Microsoft incorporadas nele. Se não tivesse o Windows nem inicializaria na instalação. Talvez o problema que você esteja enfrentando tenha relação com o Secure Boot. Dá uma olhada nesse artigo: https://support.apple.com/en-us/HT208330 Como teste, eu desabilitaria o Secure Boot e tentaria a instalação e iria subindo o nível de segurança a cada nova instalação, só para diagnosticar. Se minha memória não está me traindo, acho que o pendrive de instalação do Windows precisa ser preparado de forma diferente para instalar com o Secure Boot ativado.
  8. Infelizmente o seu MBP tem CPU de 8º geração. Estava querendo um com CPU de 10º porque o ganho nos gráficos é muito grande. Bate, facilmente, a GPU do meu MBP e ainda tem suporte ao HEVC/H265. Esse modelo é o sonho para mim.
  9. é um 2015. Touch bar só nos 2016 em diante.
  10. Eu estou no caminho inverso. Eu tenho um Pro 2015 15" e queria muito um Pro 2020 13" com CPU de décima geração, mas com a pandemia e o dólar não dá.
  11. Então para você é perfeito. Só toma cuidado para não mexer no mapa de partição nem formatar a partição errada no instalador do Windows.
  12. Meus dois dedos sobre esse assunto: A Apple adota uma política de atrasar o aumento de rotação dos ventiladores do sistema para diminuir o ruído. Junto dessa política, em 2018 ela redesenhou os ventiladores para aumentar o fluxo de ar deslocado sem precisar aumentar a rotação. Guardemos essa informação. Os processadores tem uma rotina em que eles diminuem a sua frequência de operação (diminuindo sua "potência") para preservar o chip quando ele atinge temperatura máxima recomendada pelo fabricante. Chamamos isso de thermal throttling. Guardemos também essa informação. O heatsink usado nos dispositivos precisa de um "tamanho" mínimo para que o calor produzido pelos chips seja absorvido por ele e transferido para o ambiente. Se for pequeno demais (sua área de contato com a ventilação forçada) ele vai "saturar" com o calor que não será trocado com o ambiente de forma eficiente, ou seja, ele não vai "se livrar" do calor como deveria. Outra informação que deve ser guardada. A Apple conta com o efeito de thermal throttling para "proteger" o sistema. Portanto a rotação dos ventiladores do sistema e o tamanho do heatsink são "menores" do que deveriam, isso para manter o silêncio e o tamanho diminuto dos aparelhos. Como a grande maioria dos usuários precisam apenas de picos de processamento, são problemas pouco perceptíveis. Conforme os aparelhos envelhecem, acumulam poeira e suas pastas térmicas ficam velhas, a eficiência do sistema, que já não é boa, diminui. Some-e o fato de que softwares mais novos são mais exigentes e temos situações de pico de processamento com mais ocorrências e pronto: sistemas mais quentes do que quando eram novos. E novos eles já eram mais quentes do que deveriam. Solução não há, você pode fazer coisas que diminuem os efeitos. Trocar a pasta térmica em um prazo recomendado pelo fabricante do composto, usar compostos de boa qualidade e manter o equipamento limpo internamente ajudam, mas você volta para o cenário inicial. Há formas de melhorar, mas exigem modificações que, muitas vezes, a maioria não está disposto a fazer. Eu resolvi o problema de aquecimento em um MacBook Pro 2015 com GPU AMD. De forma resumida, para deixar a temperatura do processador próxima dos 40º em stand by (e sem perder desempenho por thermal throttling) eu tive que fazer o seguinte: 1- comprei uma tampa inferior no mercado livre e furei ela na direção dos ventiladores, de forma a ter uma entrada de ar em temperatura ambiente diretamente sobre eles; 2- troquei a pasta térmica original por uma da Gelid, a GC Extreme, tanto na CPU quanto na GPU; 3- instalei thermal pads no heatsink de forma a transferor o calor dele para a tampa do notebook. Como ela é de alumínio, o calor que ficava "preso" dentro do gabinete passou para a parte de fora; 4- instalei pés na traseira do computador para deixar mais alto, permitindo um fluxo de ar na parte de baixo dele; 5- modifiquei o fluxo de ar interno da máquina para privilegiar as novas entradas de ar que eu fiz; 6- configurei o iStats menus para acelerar os ventiladores para 50% quando a CPU atingisse 70º e 100% quando atingisse 80º; 7- configurei o iStats menus para acelerar os ventiladores para 50% quando a GPU atingisse 55º e 100% quanto atingisse 60º; Para você ter uma ideia, eu estava querendo trocar de máquina antes da pandemia, então eu desfiz praticamente tudo, mantendo apenas a pasta térmica nova, porque eu estava pesando em vender a máquina com tudo original. Como o dólar disparou e as viagens aos EUA se tornaram mais complicadas, eu voltei tudo de novo para continuar usando essa máquina. Esse período onde eu desfiz tudo, o computador ficava em stand by nos 50º e em qualquer coisinha que eu fizesse no Final Cut o processador chegava nos 100º, entrando em thermal throttling em poucos minutos, onde o processador ficada em 1 GHz e a GPU em 300 MHz. O que eu quero dizer com tudo isso: apesar de ajudar nos momentos onde o uso for leve, isso não vai resolver nada se o uso for pesado. Em uso pesado os ventiladores já aceleram para 100%, você só estaria adiantando isso, a temperatura continuará alta e muito provavelmente seu MacBook Pro sofrerá de thermal throttling. Infelizmente. Eu tive que fazer um monte de coisa para conseguir me livrar o thermal throttling. Só acelerar os ventiladores apenas diminuem a temperatura em baixa carga.
  13. De forma resumida: sim, basta iniciar a instalação, selecionar a partição "boot camp", formatar e instalar novamente. Na verdade, o Boot Camp faz duas coisas: particiona a unidade e cria uma imagem inicializável do Windows nessa unidade com os drivers já incorporados. Quando você cria um pendrive de inicialização e copia os drivers de instalação para ele você fez manualmente o que o Boot Camp faz em uma área reservada da unidade para instalar o Windows. Por isso, lembre-se de baixar os drivers para instalar depois. Você pode baixar os drivers no próprio Boot Camp usando o menu "Ação" e "Baixar software de suporte para o Windows".
  14. Infelizmente os navegadores atualmente são extremamente consumidores de recursos, sendo o Chrome o pior deles nesse quesito. Observe que, além de alto impacto energético, o Chrome está impedindo que seu computador entre em repouso. Muito provavelmente o Chrome está consumindo mesmo muitos recursos e isso aumenta a temperatura. Faz o seguinte, ao invés de deixar um monte de abas abertas, tenta colocar as páginas que quer visitar depois na lista de leitura. É um bom modo de diminuir a quantidade de abas abertas.
  15. Eu penso que o ideal seria o 2015 em diante por causa da possibilidade de encontrar um modelo com bateria, teclado, trackpad e top case novos. Os modelos de 2014 tem CPU de quarta geração igual aos 2015, mas a GPU (nos modelos que tem) é da nVidia. Como a relação da Apple com a nVidia azedou de vez, acho que o suporte a essa máquina pode ser encerrado antes das máquinas 2015 que tem GPU AMD. Por esse motivo eu não investiria em máquinas com GPU nVidia. Por motivos de paridade, é provável que os modelos sem GPU discreta do mesmo ano também sejam capados juntos. Há ainda um ponto importante: a Apple só fornece peças de reposição por até 5 anos após o fim da comercialização. O modelo 2015 foi comercializado até 2018, ou seja, tem suporte de peças até 2023.
×
×
  • Criar Novo...