Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Marcelo Neves

Membros
  • Total de itens

    14
  • Registrou-se em

  • Última visita

Sobre Marcelo Neves

  • Rank
    Estou chegando agora...
  • Data de Nascimento 27-01-1978

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • Localização
    Ribeirão Preto / SP
  • Interesses
    Internet, Filmes, Series, Vida Saudavel (dieta, alimentacao, suplementos, esportes), Direito e Atualidades.

Contact Methods

  • Skype
    digitalrp
  1. Mais uma materia que vai de encontro com o que eu defendo. http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201212261244_BBB_81870821 A sobrevalorização do real, que mina a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional, e problemas estruturais, como excesso de burocracia, gargalos de infraestrutura e falta de investimento em educação e na formação de mão de obra também são apontados como freios do crescimento em 2012, além do acirramento da crise global e desaquecimento da China.
  2. Pronto, agora os comerciantes podem especificar os impostos na nota fiscal, tendo o campo relativos a eles no layout oficial - http://www1.folha.uo...ta-fiscal.shtml - Agora fica facil dizer quem é responsavel pelo alto custo dos produtos no Brasil.
  3. É gratificante hoje depois de 2 ou 3 dias sem acessar o forum, ver que 3 ou 4 colegas compartilham do mesmo fundamento, que bom que me enganei qdo achei que existia um monopolio de 3 ou 4 usuarios, é por ai mesmo tem que haver debate pois com certeza TODOS tem sua parte de razão na questão, e é dessa discussão que pode sair a certeza da causa do problema, e há quem deve ser direcionada a exigencia da solução. Espero que o ministro Guido Mantega, entre outros tenham conhecimento do debate que acontece aqui, até pq o ponta pé inicial DEVERIA partir deles. Vamos educar o povo, melhorar o transporte, investir em pesquisa e assim diminuir as diferenças sociais que sao extremas no Brasil.
  4. uk lima, Agradeço o apoio, to evitando comentar pq percebo que para alguns é guerra, e não é essa minha pretensão. Mas vamos la vou tentar seu mais claro possivel, o que ocorre no Brasil é uma inseguração seja, fiscal, financeira, juridica, etc. No ditado popular a empresa mesmo estando certa, esta errada. Por ser assim, o empresariado brasileiro que não vive de caridade impõe uma margem que considera justa para o risco da atividade, e pq essa margem é alta se comparada a outros paises??? Justamente pela inseguraça que o governo oferece. É muita insegurança, tanto de: Cambio Transporte (Aereo / Maritimo) Liberação (Imposto - SP concedeu incentivo e agora o STF a pedido do AM tirou) Armazenagem (Greve) Furto de Carga Transporte terrestre Distribuição Margem do comerciante Sendo que a toda essa insegurança esta atrelada obrigaçoes trabalhistas, sendo que no Brasil a mao de obra é cara e pouco produtiva, não estou dizendo isso pra ofender ninguem não, pq tenho certeza que me incluo nela, tenho certeza que eu poderia produzir mais, mas culturalmente não faço isso, afinal sou Brasileiro nato, a revista exame retratou bem essa situação. Eu acho que a solução para o Brasil seria o país oferecer mais segurança juridica, fiscal e financeira, ao mesmo tempo que investe na distribuição e apartir dai, o cidadão seria o ponto forte fazendo do seu poder de compra o meio adequado para regular a margem das empresas. Hoje como esta, se houver boicote é natural que mais e mais empresas começem a fechar, e o que mais me preocupa é o emprego que as empresas oferecem, pensa na pessoa dispensada e sem emprego e renda, que chega em casa e ve seus filhos com fome?? Não tem outra alternativa senão partir para a ilegalidade, ninguem suporta ver a familia com fome, então a manutenção do emprego é primordial. O Brasil de hoje deixa o problema acontecer pra entao tentar resolver, qdo acho que o trabalho deveria ser preventivo, investimento principal seria em educacao, saneamento basico, transporte e tecnologia. Bom de qualquer forma nao quero me estender mais, e peço desculpas pelos erros, pois estou novamente no meu notebook, e nao tem word e corretor ortografico, tb nao vou me dar ao trabalho de corrigir os erros pois a intençao é debater e nao ter um portugues perfeito. Em tempo: Nao sou defensor da Apple ou qualquer outra empresa, sequer um dia dei lucro para esta, só defendo meu entendimento que a maior culpa pelo alto custo no Brasil é primeiramente e em grande parte do Governo, e depois contribuindo tb para o problema estao as empresas e o proprio consumidor.
  5. O cnpj enquadra-se em: "ou mesmo um CNPJ para fundar ações na justiça sobre marcas e patentes, mais nada" Ou seja, não existe um produto made in Brasil da Apple a 17 ou 12 anos, é incrivel como as pessoas se esquecem rapido desse fato, até outro dia muitos consumidores reclamavam da Apple não ter presença no Brasil, agora consideram seu cnpj para fins de direito suficiente pra dizer que ela existia como fabricante por aqui. Ok, Ok vcs venceram meu ultimo post, la na frente qdo as medidas não forem consideradas corretas, lembrem do chato que dizia que os esforço deveria ser junto ao Estado e nao a aquele ou esse fabricante.
  6. Sim sempre estiveram foram da realidade, essa é uma característica da Apple mesmo em outros mercados ela cobra mais que seus concorrentes, e acho que não existe previsão de mudar. Tb não a julgo por isso, pq só eles sabem os custos de pesquisa e fabricação que tem e o publico que querem atingir. Mas acho que sua atitude é muito valida, na dificuldade temos que nos apegar as alternativas, eu mesmo tenho note da Acer e Android num E615F LG e posso dizer que estou satisfeito.
  7. É uma pena percebo que os fanboys da Apple são irredutíveis ao ponto de qualquer fundamento contrario, mesmo que muito bem alicerçado seja pouco ou nada convincente. É como se fosse algo extremo, uma religião ou time de futebol que se defende independente de razão. Bom não tenho interesse e nem tempo pra revisar o que escrevo então vou me calar, até pq a intenção foi mais no sentido de esclarecer a quem deveria direcionar os esforços do que a convencer fanboys do contrario. Quanto a Apple estar no Brasil a 17 ou 12 anos, seria bom informar a fonte, pois desconheço essa informação, pois considero como inicio quando da fabricação do iphone/ipad, antes o que se verificava era a entrada via descaminho, e a importação independente de alguns grandes distribuidores e varejistas, ou mesmo um CNPJ para fundar ações na justiça sobre marcas e patentes, mais nada. Loja Própria, só agora em 2012. Essa discussão não leva a nada, a solução é um pouco mais complexa e a MEU ver independe especificamente da Apple, ou qualquer outro fabricante, diria grosso modo que é 70% culpa do estado, e 30% culpa do fornecedor que impõe altas margens, por conta dos riscos que o Estado oferece. Percebo que são 2 usuários que ma atacam espero que para os outros que lêem eu esteja sendo claro, justo e elucidativo nos meus fundamentos, nossa revolta reforço deveria ser contra o Estado e não contra as Empresas.
  8. Marcelo, Desculpe se a prioridade não foi os acentos, estava deitado na cama como note no colo e sabendo que o foco era outro acabei por não revisando o texto, normalmente faço isso quando os assuntos são outros. Vc tem razão acho que o consumidor tem que se mexer, porém pode ser que a melhor solução venha do Estado em melhorar a infra-estrutura, diminuir a marginalidade e os impostos. Com certeza sera uma surpresa pra mim, mas ja sou empresario a algum tempo, inclusive cadastrado no radar apesar de nunca ter feito nenhuma importação, ja que minha visao antes do radar era uma, e depois do radar quando então fui informado em alguns custos que não sabia passou a ser outra, tanto que me desmotivou a dar continuidade na importação, não se os amigos aqui sabem mas toda importação exige um despachante e isso não é barato, se houve uma virgula no romeio internacional errada, é multa ou apreensão, se o palete não for de madeira certificada ou estiver corretamente invernizado é multa, e por ai vai, são tantos os problemas e custos que o Brasil impoe ao empresario que muitos como eu desistem, sem falar que no Brasil andando certo vc ainda ta errado, correndo o risco de mesmo fazendo tudo certo ainda ter que dar um dinheiro para o fiscal em razão de algum ponto e virgula. Acho que todos sabemos que o percentual de liberações de produtos que ocorrem no Brasil, onde existe uma gratificação não contabilizada é grande. Sim não basta querer, tem que uma lei autorizar, pois se o fizer posso ser acusado de estimular ou induzir os consumidor a ter odio do estado, fora o fato de tais campos não existirem no layout da nota fiscal eletronica, o que vai mudar qdo a lei entrar em vigor. Sim isso é historico e dificilmente vai mudar, acontece até na casa das pessoas, qdo a familia tem 2 filhos onde apenas 1 trabalha e contribui para o custeio geral, nem por isso a familia sacrifica o outro. Aé eu tb nao ouvi, ainda não chegamos nessa grau de desenvolvimento, de qualquer forma texto extensos que atacam muitas vezes questões que nada tem haver com o tema, tipo numa discusão de impostos se atentar aos acentos, ortografia, etc pra mim é um ato de desespero, ou desrespeito, muitas pessoas não conseguem diferenciar uma discussão saudavel e formalmente fundamentada de uma guerra, entao passam a atacar as pessoas, principalmente se ela for nova no forum, como se isso fosse um diferencial negativo, quando acredito que não seja. Acho que NATURALMENTE todos tentamos ser o mais claro possivel, mas o nivel de entendimento varia de pessoa para pessoa, eu por exemplo qdo percebo que tenho uma dificuldade em entender algo, me esforço para isso ja que não acho razoavel partir do principio que quem transmitiu deveria conhecer as particularidades de cada um que leia e assim tentar adaptar seu texto aquele com maior dificuldade de interpretação. De qualquer forma acho essa discusão um pouco fora do tema, não ganho nada pra me aborrecer, achei que estava contribuindo para o aumento do conhecimento das pessoas de um modo geral principalmente quanto as dificuldade de ser empresario no brasil, a quem diga que um empresario de medio sucesso no Brasil seria um empresa de muito sucesso em qualquer outro País, mas se nao for assim a maioria achar que meus textos não tem qualquer fundamento, eu me calo.
  9. Abaeda Esqueci de agradecer o bem-vindo, e tb gostaria de dizer que minha participacao aqui é pra convencer e ser convencido. Argumentos podem me convencer facilmente, porém no grito isso nunca aconteceria, até pq nao estou aqui para fazer guerra com ninguem, ainda que alguns interpretem assim, lembrando que sou responsavel pelo que falo e nao pelo que alguns entendem.
  10. Tem que considerar que recentemente a Apple perdeu todos os incentivos fiscais cedidos pelo estado de Sao Paulo, em razao de uma acao proposta pelo estado do amazonas (manaus), onde o STF decidiu que nenhum estado poderia oferecer incentivos sem a concordancia dos demais, com excacao da zona franca de manaus que foi criada com esse intento. Ai se a Apple mudar para o AM perde com transporte e mao de obra pouco qualificada, sendo que o maior mercado consumidor é sp, rj, mg e por ai vai.
  11. Leia a Revista Epoca - Ediçao 1025 (http://exame.abril.c...e/edicoes/1025/) que entendera o que digo quanto a produzir. Nao vim aqui pra defender a Apple, até pq o unico item que tenho deles é um ipod nano que achei, e se nao fosse assim nao teria nenhum pelo custo e tb por nao ser muito fã de ficar refem de um fabricante/desenvolvedor. Porém penso que para externar um ponto de vista, o ideal é considerar os lados (consumidor / fornecedor) até pq se eles nao conviverem em equilibrio ou nao teremos consumidor ou nao teremos empresa (emprego). Entendo seu ponto de vista, porém é natural que somente a Apple consiga determinar seus custos, e posso garantir que sera uma supresa pra vc, até pq tenho certeza que vc nao é empresario ou se for nao do nivel da apple que envolve importacao, producao, distribuicao, suporte e conserto/troca. Acho que seria valido a Apple apresentar seus custos, até pq uma nova Lei se tudo der certo vai obrigar a fazer isso, eu faço questao de informar os valores dos impostos nas notas que minha empresa emite, pena que ainda nao posso fazer isso, acho que com isso a revolta do consumidor seria maior em relacao ao estado que nao tem os custos que o empresario tem, e ainda assim participa de grande parte do lucro.
  12. Vamos la, 1. vendia num preço melhor pq estava iniciando sua operaçao no brasil, tinha uma previsao de custos que com certeza foi e muito superada pelo custos Brasil, no fechamento viu que era inviavel manter tais margens. 2. Em parte, porém nao necessariamente o aceite do Brasileiro em pagar o valor ofertado, tb contribui para o aumento, meio que é o que o Presidente de fabricante veicular disse, pra que vender por menos se o brasileiro paga mais. 3. Sim, o transporte, armazenagem, seguro contra roubo, impostos e margens aumentam segundo o investimento do empresario.
  13. Li muito dos post aqui e tb a carta, porém como tenho conhecimento de causa em ambos os lados (consumidor / empresario) diria que os argumentos aqui são fracos, basicamente de consumidores. Vamos aos fatos, na carta tem um grafico do valor do produto importado e comparado ao valor do produto vendido, ali consta todos os impostos de importação, porém deve se considerar que não somente aqueles impostos fazem com que o produto esteja disponivel para o consumidor. Deveria se considerar Produto importado Transporte (estrangeiro e nacional) e seus reflexos no custo de importação. Armazenagem, greve da receita, roubo de carga. Lucro do distribuidor Lucro do revendedor Evidente que o transporte nos EUA é mais eficiente que no Brasil, tanto quanto a malha viaria, roubos, custos de combustivel e de aquisição e manutenção do veiculo. Evidente que o distribuidor brasileiro tem um custo alto seja fixo, folha de pagamento, e risco brasil, nem pode ser comparado com os custos dos EUA, aqui o trabalhador produto em 7 dias o que um americano produto em 1 dia e 2hrs, ou o que um Russo produto em 6 hrs (Revista Epoca - Americano produto 5x e europeu 8x mais que Brasileiro) Evidente que o comerciante também tem altos custos, risco de roubo, furto, folha de pagamento, custo do ponto. O consumidor não sabe mais o funcionario é um potencial destruidor de uma empresa, uma ação trabalhista de um padeiro com 5 anos de trabalho, mesmo recebendo tudo 100%, só naquilo que nao deveria receber, pode quebrar a padaria. Outra conta grosseira seria considerar um funcionario da apple ganhando 1,500,00 outros 500,00 com certeza ele tera em beneficios, totalizando 2000,00 o estado cobra ainda 1000,00 de impostos sobre o trabalho dele, totalizando 3.000,00 mes, que o ganho da apple sobre o ipad seja de 200,00, ou seja, a Apple vai ter q vender e torcer pra nao dar problema e assim nao ter outros custos exatamente 15 ipads pra pagar esse funcionario, ai se considerar-mos o numero de funcionarios que a Apple nao tem??? Depois disso tem que sobrar lucro, a empresa nao vai assumir um risco só pra trocar 6 por meia duzia, ou emprega no Brasil, ela é capitalista precisa ganhar com a operação. Resumindo, é facil para nós consumidores desejar-mos que essa ou aquela empresa ofereça os produtos por valores menores, é tipico do brasileiro que sempre quer sair no lucro (Lei de Gerson), porém tem que pensar tb como empresarios, pois nao adianta exigir que as empresas nao tenham lucro e assim deixam de existir. O Que existe é uma ajuda mutua de um lado a empresa gasta com pesquisa, e desenvolve seus produtos de outro o consumidor rateia seus custos + lucro e paga para mantel-la.
×
×
  • Criar Novo...