Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

robertotrajano

Membros
  • Total de itens

    11
  • Registrou-se em

  • Última visita

Sobre robertotrajano

  • Rank
    Estou chegando agora...

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • Localização
    São Paulo
  1. Olá, pessoal! Estive em viagem, em NY e fui na Apple. Trocaram o aparelho na hora (mesmo não sendo comercializado nos EUA - meu aparelho era da Austrália). Ou seja, há (além de outros fatores) um descaso total com nós, consumidores que estamos no Brasil. Vou entrar com uma ação, pois fiquei 4 meses sem o aparelho, e tive que me deslocar para os EUA para ter meu problema solucionado.
  2. Fiz um agendamento no Genius Bar, da nova loja Apple no RJ no sabado 15/02. Quem puder ir, talvez eles "repensem" a forma de tratar a garantia no Brasil. Link para agendamento: http://www.apple.com/br/retail/villagemall/
  3. A resposta que a aAnatel me envio em 16/01: A homologação junto à Anatel de produtos para telecomunicações de fabricante do exterior tem que ser requerida por uma empresa que esteja sediada no Brasil e devidamente legalizada segundo as leis brasileiras. Além disso, a empresa tem que obter uma Carta de Representação Comercial desse fabricante do exterior, declarando que a empresa requerente se responsabilizará pela garantia, manutenção e suporte técnico do produto no País.
  4. Dia 15/02 abre uma loja própria da Apple no RJ. Será que eles resolvem nosso caso???
  5. Senhores e Gustavo: Como estive na loja da Apple no Brasil e eles me disseram que não havia suporte/garantia poque a ANATEL não havia homologado o aparelho (no meu caso, Austrália, TOTALMENTE compatível com o Brasil, incluive 4G), fiz uma reclamção junto à ANATEL, nos seguintes termos: "Comprei um iPhone 5S na Austrália, pois o 4G é compatível no Brasil, porém ao precisar utilizar a garantia a Apple me informou que o aparelho ainda não está homologado no Brasil. A versão é A1530. Gostaria de saber porque não está homolgado (já que é compatível no Brasil ) e qual previsão de isto acontecer. Obrigado." Qual minha surpresa ao receber à resposta da ANATEL: "A homologação junto à Anatel de produtos para telecomunicações de fabricante do exterior tem que ser requerida por uma empresa que esteja sediada no Brasil e devidamente legalizada segundo as leis brasileiras. Além disso, a empresa tem que obter uma Carta de Representação Comercial desse fabricante do exterior, declarando que a empresa requerente se responsabilizará pela garantia, manutenção e suporte técnico do produto no País." Ou seja, a Apple empurra o problema para ANATEL, e a ANATEL devolve para Apple. E quem paga é o consumidor. Se você, Gustavo, tiver algum parecer para acionar a Apple na Justiça comum e puder compratilhá-lo, envie que vou entrar imediatamente. Um abraço!
  6. Uma máquina fotográfica (ainda que possua função “filmadora”), um relógio de pulso, um telefone celular (inclusive smartphone), um aparelho reprodutor de áudio/vídeo portátil, ou pen drive, usados , por exemplo, estão abrangidos pelo conceito de bens de caráter manifestamente pessoal. ===> Você pode trazer UM iPhone e não precisa declarar NADA.
  7. O assunto veio à tona simplesmente porque alguém aí em cima afirmou que compramos no exterior e sonegamos impostos.
  8. Para quem NÃO SABE como funciona a tributação da Receita Federal, apenas ACHA que sabe: http://www.receita.fazenda.gov.br/Aduana/Viajantes/PerguntasRespostas/Default.htm 1.9. Além de uma máquina fotográfica, um relógio, e um telefone celular, um viajante pode trazer sob o conceito de bens de caráter manifestamente pessoal outros bens usados (por exemplo, um óculos esportivo, uma pulseira de ouro, um par de brincos e um colar de brilhante)? - Sim, se forem compatíveis com as circunstâncias da viagem. A lista de bens contida no § 1º do art. 2º da Instrução Normativa RFB nº 1.059/2010 é exemplificativa. Cabe destacar que poderá ser exigida a comprovação da compatibilidade com as circunstâncias da viagem, tendo em vista, entre outras variáveis, o tempo de permanência no exterior.
  9. Mas é o seguinte: na PIOR das hipóteses, pode me EXCLUIR da garantia MUNDIAL, desde que ABRA meu equipamento e conserte-o aqui no Brasil. Ou em qualquer outro lugar do mundo em que eu estiver com o aparelho. Que não tenha peça, que demore, ok. Mas não podem simplesmente ignorar os clientes. Pagar uma grana alta por um equipamento de qualidade, mas que você chega no suporte e a Apple diz: "Desculpe senhor, não podemos fazer nada. Vá até a Austrália que eles resolvem seu problema." A Apple criou o mundo globalizado, mas não quer fazer parte dele.
  10. Olá! Alguma novidade? Presumam o seguinte: Possuo um iPhone 5S 64GB comprado na Austrália e uso ele como ferramenta de trabalho viajando pelo mundo. Preciso de assistência, neste momento, no Brasil (nem é necessário entrar no mérito GARANTIA). Eles se recusam. QUERO QUE ARRUME O APARELHO, mesmo que fora da garantia. Em março irei para Londres, abril Dinamarca, julho Marrocos, Setembro Japão, novembro EUA.... E NÃO VOU PARA AUSTRÁLIA! Pergunto: Como uma empresa reconhecidamente GLOBAL não me dá suporte nas viagens que preciso fazer profissionalmente, em que uso o produto deles???? Se eu tiver problema em Londres, vão me mandar para Austrália também? OU eles querem que cada país que eu visite eu compre um iPhone?
×
×
  • Criar Novo...