Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
luclba

Novidades na fiscalização pelos agentes alfandegários?

Posts Recomendados

Bom, não sei se foi pra mim MAS eu não comprei no Paraguai para revender, deixei bem claro que comprei no Paraguai o MEU MBPR para MEU uso. E discordei de quem compra lá para revender aqui sonegando na alfândega.

 

[]'z

 

Então agora entendi, pela tua mensagem eu entendi que havias comprado para revender.

 

Editado: daí podemos até discutir se essa modalidade de compra entra como produto para uso pessoal, pois fostes ate o PY e comprasse e depois voltasse, ou não, ficasse no PY por 7 dias, tudo é discutível, exceto trazer uma caixa com 10 iPhones (por exemplo), declarar 1 e os outros 9 entram de forma ilegal no Brasil. Hoje mesmo paguei R$250,00 e alguns quebrados no imposto de um capacete para Snowboard que comprei pelo eBay. Mesmo pagando o imposto, o mesmo capacete não é encontrado com facilidade e o preço aqui no Brasil fica na casa dos R$900,00. Eu paguei o Preço de R$511,00 ao todo. 

Editado por Gustavo Jaccottet

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hehehe, tranquilo então.

Explicando melhor: lá comprei um alto falante pro meu carro e alguns litros de uísque.

Como o alto falante não bateu a cota e nem comprei mais de 12 litros, não declarei (pois estava na cota).

Nada pra revender, tudo do meu uso e dentro do limite da lei que a Receita impõe.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hehehe, tranquilo então.

Explicando melhor: lá comprei um alto falante pro meu carro e alguns litros de uísque.

Como o alto falante não bateu a cota e nem comprei mais de 12 litros, não declarei (pois estava na cota).

Nada pra revender, tudo do meu uso e dentro do limite da lei que a Receita impõe.

 

Eu vou quase que todos os meses à fronteira do Brasil com o Uruguai, onde há Duty Free Shops. Em geral compro vinhos, algum eletrônico (como um rádio relógio com dock para iPhone ou iPod). Acontece que o pessoal compra aparelhos de Ar Condicionado aos montes. A Receita faz a Festa.

 

A Aduana fica em cima dessa ponte:

 

250px-Frontera_Brasil-Uruguay.JPG

 

Nessa ponte, como podes ver, só passa um carro em cada sentido, então a Receita para quem quer, quando quer. Daí quando o sujeito vai ter a mercadoria apreendida, além de causar um baita dum engarrafamento, ele é levado até o final da ponte e estaciona embaixo da Aduana. Essa é a Aduana entre Rio Branco (Uruguai) e Jaguarão (Brasil).

 

Outro lugar em que faço compras é no Chuy, que faz fronteira com o Chuí (Brasil). A aduana fica a alguns quilômetros da cidade.

 

FG605.jpg

 

Aqui na foto está o lado uruguaio. Do lado direito, onde há um monza, é a fronteira com o Brasil. É só atravessar a rua.

 

4804010050_2606937a3a.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu vou quase que todos os meses à fronteira do Brasil com o Uruguai, onde há Duty Free Shops. Em geral compro vinhos, algum eletrônico (como um rádio relógio com dock para iPhone ou iPod). Acontece que o pessoal compra aparelhos de Ar Condicionado aos montes. A Receita faz a Festa.

 

A Aduana fica em cima dessa ponte:

 

250px-Frontera_Brasil-Uruguay.JPG

 

Nessa ponte, como podes ver, só passa um carro em cada sentido, então a Receita para quem quer, quando quer. Daí quando o sujeito vai ter a mercadoria apreendida, além de causar um baita dum engarrafamento, ele é levado até o final da ponte e estaciona embaixo da Aduana. Essa é a Aduana entre Rio Branco (Uruguai) e Jaguarão (Brasil).

 

Outro lugar em que faço compras é no Chuy, que faz fronteira com o Chuí (Brasil). A aduana fica a alguns quilômetros da cidade.

 

FG605.jpg

 

Aqui na foto está o lado uruguaio. Do lado direito, onde há um monza, é a fronteira com o Brasil. É só atravessar a rua.

 

4804010050_2606937a3a.jpg

Legal! Um dia vou conhecer.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Legal! Um dia vou conhecer.

 

É bem legal, tem uma variedade de lojas. O Neutral Duty Free Shop e o The Place Duty Free Shop (este tem uma APR da Apple dentro da loja) vendem Apple e dão além da garantia original, uma garantia da Loja. Sei disso porque certa data um Blu-Ray que comprei pifou e mesmo depois de 90 dias eles trocaram, na boa. Quem quiser comprar produtos esportivos, perfumes, chocolates, bebidas, artigos para casa e etc., posso garantir, os preços são muito competitivos. Claro que há produtos, como iPhones e iPads, que não saem em conta, em razão mais da demanda do que do preço pago pelos importadores.

 

A grande maioria dos produtos entra no Uruguai vindos da Zona Franca de Cólon, Panamá.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gosto de ir para Ponta Porã/MT - Pedro Juan Caballero/PY pois lá nem tem barreira nem nada, é terrestre totalmente e várias estradas de saída.

 

[]'z

 

Aqui no RS há postos de controle fixos e móveis. Vindo do Chuí há uma aduana em Santa Vitória do Palmar e pode haver um posto de controle antes da Estação Ecológica do Taim. Vindo de Jaguarão, há a Aduana na Ponte Internacional e a PF e a Receita Federal, as vezes, fazem postos de controle na PRF de Arroio Grande ou antes do Pedágio, quase chegando aqui em Pelotas. Vindo de Rivera há uma aduana e até dois ou três postos de controle da PF entre Bagé e Rivera. O mesmo digo para quem vem de Quaraí, há muita PF entre essas duas cidades. Para quem vai até Artigas, que faz fronteira com Bagé, creio que seja o lugar mais tranquilo, salvo engano da minha parte.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É bem legal, tem uma variedade de lojas. O Neutral Duty Free Shop e o The Place Duty Free Shop (este tem uma APR da Apple dentro da loja) vendem Apple e dão além da garantia original, uma garantia da Loja. Sei disso porque certa data um Blu-Ray que comprei pifou e mesmo depois de 90 dias eles trocaram, na boa. Quem quiser comprar produtos esportivos, perfumes, chocolates, bebidas, artigos para casa e etc., posso garantir, os preços são muito competitivos. Claro que há produtos, como iPhones e iPads, que não saem em conta, em razão mais da demanda do que do preço pago pelos importadores.

 

A grande maioria dos produtos entra no Uruguai vindos da Zona Franca de Cólon, Panamá.

Obrigado pelas informações. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Jesus! É muito posto de fiscalização hehehehe....

O famoso Shopping China de PJC/PY não tem bons preços, poucas coisas valem a pena. O mac da minha assinatura, para comparação, nos EUA custa 1499USD, no Shopping China o mesmo estava por 2299USD e onde eu comprei, em uma casa no meio da cidade mas grande importadora "de tudo", paguei 1799USD.

A grande dica é trocar reais para dolar no Brasil pois se for passar em reais lá pagará o valor que a cidade acha, e no dia que fui estava em 2,14 reais para cada dolar, sendo que na cotação estava 2,01.

Outra coisa é passar no cartão internacional, onde cobraria 6% de IOF de sua compra total.

 

[]'z

 

edit: comprei na Studio Center. Achei também várias outras casas no meio de PJC que deram desconto de 50USD para que eu comprasse lá, porém eu já havia comprado hehehe... a bela maneira de ir na emoção e não pesquisar preço.

Editado por bernaction

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É, no caso do Dólar, é melhor fazer o Câmbio no Uruguai. Pode ser feito em qualquer Banco (recomendo o BROU) e se tiver casa de câmbio, recomendo a Gales.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa dica do bernaction de trocar real por dólar vale mais apena mesmo, fui ao Paraguai em 2010 na época a cotação estava baixa na casa de 1,8 mas nas lojas já tem um papel na parede com a cotação deles que era na casa de 2,00 ou um pouco mais. Muito melhor já levar em dólar mesmo.

Editado por Leandro Sasso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Desculpa ai o  100% correto.

 

Eu nao vou entrar no merito, eu fiz minha parte de declarar, se o agente nao olhou minha mochila ou pediu para assar no x-ray. Sinto muito.

 

Agora falar e facil quero ver na pratica. E errado e errado, nao existe meio errado. Se vc nunca cometeu nada de errado meus parabens.

Ih cara, nem adianta gastar saliva, esses que posam de guardiões da moral e bons costumes são sempre mais sujos que pau de galinheiro. Simplesmente ignore pelo bem da saúde mental.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ih cara, nem adianta gastar saliva, esses que posam de guardiões da moral e bons costumes são sempre mais sujos que pau de galinheiro. Simplesmente ignore pelo bem da saúde mental.

 

Bazinga!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não sou nem nunca fui 100% correto, mas procuro ser sempre que posso. Quem nunca errou que atire a primeira pedra é um ensinamento válido sempre. O fiscal pode não ter feito o trabalho dele, mas você também não cumpriu sua obrigação. Se quiser, dirija bêbado também. Se nenhum policial te pegar, paciência, eles é que não fizeram o trabalho deles.

 

É uma pena que ainda tenha gente pensando que o melhor é levar vantagem e que o outro é o otário.

 

 

Ok, mas o preço com o imposto ainda é menor do que no Brasil.

 

 

Todos? E os oito iPhones, quatro iPads, etc... Não sou ninguém para julgar o que cada um faz com suas coisas, se quiser vender ou dar de presente não interessa. A obrigação é sempre a de declarar.

 

Quem compra um carro sabe que além do valor deste tem que contar o seguro, o IPVA, licenciamento, combustível. O mesmo para quem compra acima da cota no exterior, tem que ter o costume de contabilizar também o imposto a ser recolhido na volta.

 

 

Pois é, esse raciocínio leva à conclusão de que se o outro faz errado (governo), eu também posso fazer. Como eu disse antes: depois nada de cobrar decência ou moralidade dos políticos eleitos. Como vou cobrar um comportamento que nem eu pratico? Aí voltamos para o círculo vicioso.

 

Galera, não estou aqui para dar lição de moral em ninguém, é apenas o meu ponto de vista sobre o assunto, com o qual trabalho todos os dias. Vejo um pouco mais de perto o efeito nocivo tanto da tributação exagerada quanto do descaminho, por isso sou um pouco mais "caxias" com certos assuntos. 

 

Concordo 100%. A verdade é que o brasileiro MERECE os políticos que tem, são um reflexo da sociedade brasileira. Não julgo quem decide passar seus produtos por conta e risco, também acho os impostos abusivos (pessoalmente prefiro não comprar caso não concorde com as regras), mas daí a trocar idéias e as melhores maneiras de burlar a fiscalização, já faz parte do "jeitinho brasileiro", que de bom não tem nada.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Concordo 100%. A verdade é que o brasileiro MERECE os políticos que tem, são um reflexo da sociedade brasileira. Não julgo quem decide passar seus produtos por conta e risco, também acho os impostos abusivos (pessoalmente prefiro não comprar caso não concorde com as regras), mas daí a trocar idéias e as melhores maneiras de burlar a fiscalização, já faz parte do "jeitinho brasileiro", que de bom não tem nada.

 

É a mesma coisa que eu não ir numa consulta médica para avaliar se eu devo tomar determinado medicamento, no caso uso o exemplo dos ansiolíticos e da Ritalina. Assim eu entro num fórum de discussão e consigo, via internet, a receita azul ou receita amarela, carimbada e assinada por um médico.

 

O propósito desse tópico era debater a política alfandegária e não como burlar o sistema.

 

Concordo contigo que os impostos são abusivos, mas eles não são o principal culpado. A Apple e algumas outras empresas tratam o mercado brasileiro como um mercado periférico, o que reduz demais a oferta diante da demanda.

 

Não faço nenhum juízo negativo a quem compra no Paraguai, mas faço um juízo depreciativo acerca de quem compra 10 iDevices, declara 1 ou 2, e diz que não tem culpa do agente não ter passado pelo raio-x. Ora, nesse caso é como eu assinar um cheque em branco e dizer: cara, usa para pagar todos os custos com o acidente do teu carro. Vamos supor que esses custos sejam de R$1.000,00, mas o cheque em branco é preenchido com o valor de R$10.000,00. A pessoa que deu o cheque em branco acredita piamente que esse foi o valor do reparo, mas na verdade o sujeito que agiu de má-fé, diante da boa-fé do que passou o cheque em branco, locupletou-se em R$9.000,00. Talvez essa seja a ótica de quem visa burlar o sistema, mas do ponto de vista jurídico e, pior, moral, é uma tremenda duma sacanagem.

 

Me ponho agora no lugar do agente da Receita Federal: ele vê que o cidadão declarou 3 produtos (mas o cidadão estava trazendo 10 produtos). Acreditando na boa-fé do cidadão, o agente da receita deixa passar, com os demais produtos.

 

Agora vem o gran finale: quem fez isso, além de ter agido contrário à lei, ainda posta no fórum todas as evidências do seu ato.

 

Nesse caso digo: alguns brasileiros merecem políticos ainda piores, mas, infelizmente, os honestos pagam pelos erros dos demais.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O brasileiro médio é intrinsecamente corrupto e esse país passa muito, mas muito longe, de ser uma nação séria. Eu fico impressionado como algumas coisas inacreditáveis ainda ocorrem aqui. Paulo Maluf é um criminoso internacional procurado pela interpol (ele está lá no site, se sair daqui é preso) e é sempre reeleito em SP. Obras simples superfaturadas que duram décadas para serem concluídas, os políticos julgados e condenados por crimes que nunca são presos e nem têm a decência e a vergonha na cara de renunciar aos seus cargos públicos, como Renan Calheiros, José Dirceu e vários outros. O povo parece sempre ser aquela famigerada massa de manobra, alheia a realidade. Cai como um pato nas armadilhas ideológicas dos governantes, como a desse tal desse pastor Feliciano. Tanta coisa grave acontecendo que deveria mobilizar a população e a mídia, mas todo mundo mantém os olhos voltados para aquela distração espalhafatosa. Se trata sim de um pastor imbecil, claramente ignorante e explorador de fiéis, mas que ocupa uma posição sem relevância alguma (alguém já tinha ouvido falar em comissão de direitos humanos antes?) e não pode fazer nada para prejudicar ninguém. Deram importância desproporcional a isso e só beneficiaram uma pessoa: O próprio pastor, um ilustre desconhecido, que virou a voz da moral de dos bons costumes da sociedade brasileira. Todo mundo acha normal usar atalhos e quem se posiciona de maneira diferente geralmente é criticado e taxado de otário e chato. Enchem a boca para criticar os políticos, mas lotam os consultórios médicos fingindo doenças (muitas vezes de maneira tosca) para receberem atestados médicos e relatórios de afastamento, sempre coagindo aqueles que se negam a compactuar com essa prática. Eles chegam a ser violentos inclusive. Compram receitas e atestados falsos (não precisa ser online não, é só ir na esquina que sempre tem um Dr gente boa vendendo por 20 reais). Parte significativa dos "trabalhadores brasileiros" são assim. E ainda me vêm com essa lorota de que o brasileiro é honesto. Eu não vejo isso. Existem exceções, mas, são exceções. Por isso, não consigo vislumbrar um Brasil desenvolvido, no mesmo patamar da Europa ou América do Norte, pelo menos eu não viverei para ver isso acontecer. É claro que não sou 100% honesto, quem é? mas eu nunca defenderia a prática de sonegar impostos ou qualquer coisa ilegal. Já passei sem pagar sim, mas fui pego uma vez. Eu fiquei com vergonha porque tentei desconversar e a fiscal não aceitou minhas justificativas e desde então evito comprar acima dos valores e sempre considero a possibilidade de pagar. Eu geralmente sou correto no que faço e tento não usar shortcuts para conseguir as coisas. Precisamos mudar a nossa visão de mundo se quisermos melhorar como país. Se não o show de horrores nunca vai deixar de existir.

Editado por Burtonswix

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Concordo 100%. A verdade é que o brasileiro MERECE os políticos que tem, são um reflexo da sociedade brasileira. Não julgo quem decide passar seus produtos por conta e risco, também acho os impostos abusivos (pessoalmente prefiro não comprar caso não concorde com as regras), mas daí a trocar idéias e as melhores maneiras de burlar a fiscalização, já faz parte do "jeitinho brasileiro", que de bom não tem nada.

 

Disse tudo. Também não estou aqui para julgar ninguém, apenas dou minha opinião. Como o Jaccottet disse aqui em baixo, não estamos aqui para ensinar ou ajudar os colegas a burlarem o sistema. 

 

Prefiro alertar do que pode acontecer se forem pegos e dizer qual é o comportamento correto que deve ou deveria ter sido tomado.

 

Se a pessoa quiser burlar, que faça, só espero que depois não fique magoadinho quando disserem que estava errado, postando em outros tópicos dizendo para os outros "tomarem cuidado".

 

É a mesma coisa que eu não ir numa consulta médica para avaliar se eu devo tomar determinado medicamento, no caso uso o exemplo dos ansiolíticos e da Ritalina. Assim eu entro num fórum de discussão e consigo, via internet, a receita azul ou receita amarela, carimbada e assinada por um médico.

 

O propósito desse tópico era debater a política alfandegária e não como burlar o sistema.

 

Concordo contigo que os impostos são abusivos, mas eles não são o principal culpado. A Apple e algumas outras empresas tratam o mercado brasileiro como um mercado periférico, o que reduz demais a oferta diante da demanda.

 

Não faço nenhum juízo negativo a quem compra no Paraguai, mas faço um juízo depreciativo acerca de quem compra 10 iDevices, declara 1 ou 2, e diz que não tem culpa do agente não ter passado pelo raio-x. Ora, nesse caso é como eu assinar um cheque em branco e dizer: cara, usa para pagar todos os custos com o acidente do teu carro. Vamos supor que esses custos sejam de R$1.000,00, mas o cheque em branco é preenchido com o valor de R$10.000,00. A pessoa que deu o cheque em branco acredita piamente que esse foi o valor do reparo, mas na verdade o sujeito que agiu de má-fé, diante da boa-fé do que passou o cheque em branco, locupletou-se em R$9.000,00. Talvez essa seja a ótica de quem visa burlar o sistema, mas do ponto de vista jurídico e, pior, moral, é uma tremenda duma sacanagem.

 

Me ponho agora no lugar do agente da Receita Federal: ele vê que o cidadão declarou 3 produtos (mas o cidadão estava trazendo 10 produtos). Acreditando na boa-fé do cidadão, o agente da receita deixa passar, com os demais produtos.

 

Agora vem o gran finale: quem fez isso, além de ter agido contrário à lei, ainda posta no fórum todas as evidências do seu ato.

 

Nesse caso digo: alguns brasileiros merecem políticos ainda piores, mas, infelizmente, os honestos pagam pelos erros dos demais.

 

Aliás, uma pergunta aos moderadores: se é vedado aqui falar sobre, pedir ou ensinar como piratear aplicativos, por que não é vedado perguntar ou ensinar aos outros como burlar a alfândega, sonegar impostos ou prestar declarações falsas?

 

No próprio podcast do MM sempre é falado que o melhor caminho é importar corretamente, inclusive ensinando-se como fazer.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nego distorce muita da realide é incrível!

Eu fico impressionado com tem mts 'jerk' mas enfim...

Eu estou louco para ler o post nesse tópico aonde qualquer um que esta participando, em algum momento ensinou, incentivou a burla ou coisa do tipo, pq eu li e reli o tópico inteiro e não vi ngm fazendo isso.

Agora se os recalcados acha que eu estou ensinando algo acho que devem ler novamente, pq como o usuário "sigma7" pediu "depois nos conte a experiência". Foi exatamente o que eu fiz, somente relatei o que eu passei, em nenhum momento eu fiz um "tutorial", em nenhum momento eu incentivei a ninguém a fazer nada, isso vai de cada um, cada um sabe o lhe covem.

Meus parabéns se todos aqui pagam por tudo, pelas musicas que tem em seus idevices, pelas declarações de todos os produtos que compram no exterior, pelo os quem ajudam as velhinhas a atravessar a rua.

O que eu acho ridículo e ficar esfregando na cara, ressaltando e enchendo o peito o que e o correto.

Até pq na minha opinião quem realmente e 100% correto não precisa fica esfregando na cara de ngm.

Aqueles que viajam e quando voltam com coisas acima da cota e vai pra filhinha do nada a declarar, tem a culpa tanto quanto a minha que declarou só uma parte das coisas.

Pq eu vi gente que esta dando mó discurso aqui e li em outro tópico que quando viaja sempre vai no nada a declarar mesmo com coisas acima da cota e nunca foi parado.

Agora se eu soubesse que o nível de hipocrisia de alguns eu jamais perderia meu tempo postando/participando.

Se algum moderador tiver lendo, eu peco que se possível apagar todos meus post, e todos post que me cita, pq esse falso moralismo não e para mim.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

Aliás, uma pergunta aos moderadores: se é vedado aqui falar sobre, pedir ou ensinar como piratear aplicativos, por que não é vedado perguntar ou ensinar aos outros como burlar a alfândega, sonegar impostos ou prestar declarações falsas?

 

No próprio podcast do MM sempre é falado que o melhor caminho é importar corretamente, inclusive ensinando-se como fazer.

 

Penso que não seja a mesma coisa. Uma coisa é piratear um programa, que posso ter 1 ou 100 programas piratas, dá no mesmo. Agora outra coisa é trazer um, apenas um iPhone do Exterior, ou um, apenas um MacBook ou até um único iMac, pois isso entra, aparentemente, dentro do que se pode declarar como produto de uso pessoal, não declarar, pois é de uso pessoal ou, no caso de um iMac, declarar o excedente sobre a cota de U$500,00. Outra coisa, bem diferente, é trazer um lote de aparelhos, declarar alguns e deixar os outros passarem. Criticar isso não é falso moralismo, pois a lei e a moral são coisas muito distintas. Estamos falando do que a lei e os regulamentos da receita determinam e não do que é moral ou imoral. Agora, dentro da ética, se a ética de uma pessoa que pensa que não existe uma pessoal 100% correta é essa, beleza, cada um tem a sua ética. Eu tenho a minha, que nada é do que não me beneficiar de minha própria torpeza.

 

Eu sou um que seguidamente passo pela fronteira, trago vinhos, mas sempre dentro do limite de garrafas por pessoa e respeitando a cota de U$300,00 por pessoa, por se tratar de uma fronteira terrestre. Já trouxe um PS3 e paguei o excedente à cota. Já trouxe um iPod Nano, mas estava dentro da cota. Já comprei um Snowboard, botas, bindings, capacete, roupas para neve pelo eBay, e paguei os tributos, mesmo assim fiz uma economia tremenda.

 

Cada um diz aquilo que melhor lhe convém. O que me deixa em paz é que aquele que nunca pecou que atire a primeira pedra, mas alguns pecam mais do que outros.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá amigos.. tudo beleza? Estou com uma viagem marcada para os EUA, em Agosto com destino Miami/Orlando.
Eu, minha família e namorada vamos ficar 15 dias no total. Será minha primeira viagem internacional! 
 
 
Sou bastante ansioso e prefiro me informar antes, do que chegar la nos EUA e nos ultimos dias começar a pesquisar sobre alfandega. Então já comecei a ler e entender mais sobre o assunto e queria tirar algumas dúvidas com vocês que conhecem mais e já usaram este serviço.
Como sou um total apaixonado pelos produtos da Apple, a minha lista é bem extensa. Estava pensando em trazer um Macbook.. modelo inicial. Mas como a minha lista já tinha produtos que passam dos $500, a taxa seria algo em torno de quase 1400 reais, o que não entra no meu orçamento.
 
 
A minha lista de eletrônicos e afins é a seguinte:
 
 
iPhone 5 16GB
Preto iPad mini 16GB Preto
Beats Wireless Preto
Nike FuelBand Preta
Lentes OLLOCLIP para iPhone 5
SmartCover para iPad mini
Óculos de sol
 
 
Vou falar o que já consegui de informação, e ao mesmo tempo gostaria de tirar algumas dúvidas.
 
1- iPhone e óculos passam sem entrar na lista dos taxados. iphone é liberado e óculos é item pessoal. Certo??
 
2- A smartcover do iPad, precisa ser declarada?
 
3- Na DBA vou adicionar o iPad mini, o Beats e a FuelBand. Seria possível tentar passar ou com a fuelband ou com o beats como uso pessoal? Ou não vai colar?
Pensei assim.. fuelband: Coloco no braço e vou normal. 
Beats: Coloco no ouvido e passo.. mas chama mais atenção que a fuelband. 
 
4- As Lentes OLLOClip precisam ser declaradas? Ou posso colocar dentro da mochila?
 
Espero que vocês me ajudem!!! 
 
Grande abraço! Obrigado!!  :)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder este tópico…

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Limpar editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.



  • Conteúdo Similar

    • Por Wil
      Fala galera,
      Vou fazer uma viagem rápida para os EUA agora em outubro e pretendo trazer um macbook pro que será para uso pessoal e precisarei utilizá-lo já durante a viagem. Mas estou com essas dúvidas:
      1- Ele será taxado pela receita? Ouço muitas estórias de que se vier utilizando a receita não taxa.
      2- O correto seria ir para a fila para declarar ou essas estórias de uso pessoal e vir utilizando permite ir para fila de nada a declarar?
      Essas regras vivem mudando e achei meio que subjetivo no site da receita. Alguém passou por isso esse ano?
      Valeu
  • Estatísticas do Fórum

    • Total de Tópicos
      48.582
    • Total de Posts
      415.404
×
×
  • Criar Novo...